Publicidade

Você com certeza já se deparou com uma lista de nomes estranhos e impossíveis de entender em rótulos de cosméticos ou maquiagens. O que muita gente não sabe é que alguns destes nomes que indicam os componentes do produto podem causar sérios problemas a nossa saúde, além de serem agressivos para a pele. Portanto, a melhor opção é tentar reconhecer estes ativos para saber os produtos de beleza que você deve evitar. Confira abaixo quais são eles:

1) Parabenos

Conservantes que servem para preservar e prolongar a validade dos produtos, muito utilizados pela indústria cosmética e farmacêutica por serem baratos e fáceis de incorporar nas fórmulas, sendo então encontrados em filtros solares, loções, shampoos, maquiagens, medicamentos e até em alimentos. De acordo com o farmacêutico Lucas Portilho, a substância pode causar alergias e danos à saúde. No entanto, o ingrediente ainda é considerado como seguro pela ANVISA quando utilizado dentro da dosagem de 0,8 na formulação, por isso, é preciso ficar atenta nas quantidades.

2) Ftalatos

Geralmente utilizados em produtos cosméticos para ajudar na fixação de cores e fragrâncias. Dessa forma, são frequentemente encontrados em perfumes, esmaltes, sprays de cabelo, antitranspirantes, desodorantes e hidratantes. “Assim como os parabenos, as consequências do uso de ftalatos ainda não estão claras. Porém, estudos indicam que o ingrediente pode causar danos ao fígado, rins e pulmões, anormalidades no sistema reprodutivo, alterações hormonais e até mesmo câncer”, alerta o especialista.

3) Sulfato

Surfactante frequentemente utilizado para proporcionar o poder de limpeza elevado e muita espuma, sendo usado nas fórmulas de shampoos, pasta de dentes e produtos de limpeza corporal. O farmacêutico afirma que o sulfato pode desestruturar a barreira cutânea, responsável por proteger a pele e manter a água no tecido, contribuindo para o ressecamento e irritação. Nos cabelos, a substância ainda pode tornar os fios secos, ásperos e quebradiços, além de favorecer o aumento da oleosidade e o surgimento de caspa.

4) Polietilenoglicol

Ingrediente utilizado como solvente nos cosméticos para permitir que outros ativos e substâncias tenham uma melhor penetração quando aplicados na pele. Porém, o polietilenoglicol presente nos cosméticos pode, por si só, causar reações alérgicas e eczema.

5) Fragrâncias

Responsáveis por conferir cheiro aos cosméticos, a dermatologista Dra. Valéria Marcondes, aponta que as fragrâncias são as principais causas de alergias na pele, conhecidas como dermatites de contato. O recomendado então é sempre preferir produtos livres de fragrâncias ou sem perfume ou então optar por produtos mais naturais e menos sintéticos ou hipoalergênicos.

6) Óleo Mineral

Muito utilizado pelas empresas fabricantes de cosméticos para substituir óleos vegetais, devido ao seu baixo custo e baixo potencial oxidativo e alergênico, o óleo mineral é um ativo oclusivo, ou seja, impede a evaporação excessiva de água pela pele, sendo frequentemente utilizados em hidratantes. “O problema é que, além de manter a pele hidratada apenas até ser retirado por não atuar em nenhuma das causas da pele seca, o óleo mineral é uma substância comedogênica, ou seja, pode obstruir os poros, facilitando o aparecimento de cravos”, explica a especialista em Estética e Cosmetologia Isabel Piatti.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × três =