Os apoteóticos desfiles das maiores grifes já desembarcaram ao redor do mundo para apresentar os looks da temporada Resort 2020, também conhecida como Cruise. O termo surgiu na época em que as jet-setters escapavam do inverno europeu a bordo de cruzeiros rumo ao sol e queriam coleções novas para colocar em suas malas. Como as peças vigentes nas vitrines eram de inverno, surgiu a necessidade das coleções Cruise, caracterizadas por looks de meia-estação e com o ar fashion digno de férias sofisticadas. A Z deu um giro entre as principais marcas, desde a primeira coleção de Virginie Viard para a Chanel até o espetáculo de Dior no Marrocos.

Alberta Ferretti

A grife, que é conhecida pela sua vibe eco-friendly e pelo uso de materiais sustentáveis, apresentou peças com movimento, fluidas, em tons de verde e azul. O sensual e o prático foram misturados com o intuito de mostrar atitude e personalidade, sem desviar da atmosfera feminina e poética que faz parte do DNA da marca.

Burberry

A típica mulher londrina representada por Burberry ganhou uma dose extra de sedução nessa temporada. Sempre elegante, a grife apostou no vintage, com franjas e tecidos brilhantes à la “The Great Gatsby”, que contrastadas com peças de ares militar, traduziram uma atmosfera cosmopolita. O cenário urbano e os rabiscos de feedbacks de clientes, que foram feitos na parede da loja Burberry Bond Street, também foram inspirações para as peças.

Camilla and Marc

Inspirada na dicotomia encontrada na natureza, como o bem e o mal, a coleção de Camilla and Marc se destacou pelo uso de tecidos com estampas, além de botões, saias volumosas e mangas exageradas.  O ponto alto da coleção foi o vestido vermelho metalizado com corte limpo, que soube trazer o brilho noturno da festa para o casual sofisticado do dia.

Chanel

A fusão do DNA de Gabrielle Chanel e Karl Lagerfeld ficou evidente nessa temporada. No primeiro desfile de Virginie Viard, que ocorreu no Grand Palais, o destaque foi dado aos cortes geométricos, tops com grandes laços, tailleur em tweed, leggings estampadas e muito couro. Além disso, o pink deu um toque fun à coleção e se sobressaiu na passarela.

Christian Dior

Maria Grazia Chiuri trouxe tons sóbrios, terrosos e vestidos em renda branca com pegada boêmia. O destaque das peças ficou para os tecidos africanos e a série de estampas em dimensões variadas, como a reinterpretação da clássica francesa Toile de Jouy, criada no século XVIII, além das referências às cartas de tarô da maison.

Dsquared2

Uma mistura de estampas floridas, mangas largas, blusas frisadas e jeans de cintura alta. As referências do ano 70 no desfile da Dsquared2 também podem ser encontradas nos ponchos de crochê com franjas, além das jaquetas hippies. A produção tem um toque de atitude e sensualidade.

Louis Vuitton

Esta coleção é extravagante. Cristais, bordados metálicos e muito brilho foram utilizados para levar o protagonismo às golas da Louis Vuitton. Os tecidos brilhosos e o couro foram utilizados na maioria das peças, além de algumas estampas neutras que configuraram o estilo da marca no Cruise.

Prada

Miuccia Prada apresentou um desfile discreto. As peças foram trabalhadas com algodão, bordados à mão e botões listrados. As jaquetas de estampas e os ternos apareceram em tons pastéis para complementar o look. Já o xadrez e o listrado foram visto juntos e misturados para um mix de estampa geek e nada clichê.

Tory Burch

Inspiradas no guarda-roupa de seu pai nos anos 70, o desfile teve como destaque as jaquetas de couro e um terno de tweed. Além disso, as estampas foram utilizadas sem medo por Burch, desde poá ao xadrez.

Zac Posen

As peças da grife lembram a alfaiataria da década de 40. Brilho, glamour e estampas foram os destaques das peças Zac Posen no Resort 2020. A referência utilizada nos modelos equilibra com os tecidos utilizados, como a seda e o lurex.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 + 5 =