De uma dualidade harmônica que envolve dois extremos, nascem as tendências da semana de alta-costura. O lema do “menos é mais” que estampou um dos vestidos mais volumosos de Viktor&Rolf na temporada passada de alta-costura de forma irônica, parece fazer mais sentido em parte das coleções de inverno 2019. Uma pegada mais urban – apesar de sempre muito sofisticada – reinou nas passarelas de Paris. Por outro lado, houve, também, o extremo oposto, com produções surrealistas, que transbordaram luxo e suntuosidade, dignas de heroínas shakespearianas.

Com desfiles que se findam como completos espetáculos, os estilistas apostam em uma moda comercial, que há alguns anos conquista um público mais jovem, com alto poder de compra. Dos ternos minimalistas de Alexandre Vauthier ao vestido “casa de bonecas” da Dior com a artista feminista surrealista Penny Slinger, selecionamos highlights de respeito da temporada. Check it out!

 

O tal do terno

Alexandre Vauthier
Ronald van der Kemp
Armani Privé 2

 

O ícone da alfaiataria deu as caras com cortes retos clássicos, mas modelagem mais descontraída, com direito a curvas da mulher. Com predominância nas cores preto e branco, o terno da vez tem comprimento mais alongado.

 

Soft and chic

Ralph & Russo
Givenchy
Armani Privé

 

A suavidade foi vista tanto no quesito cor, quanto toque. Na paleta, os tons pastel refrescaram as produções de festa. Nos tecidos, opções delicadas e brilhantes e ganharam um ar suntuoso e, ao mesmo tempo, com aparência confortável.

 

Líderes gregas

Dundas
Azzaro
Valentino

 

Uma versão atual, interessante e contemporânea das deusas gregas invadiu as passarelas. Com detalhes reveladores, tecids fluidos e cintura marcada, a palavra da vez é sensualidade mística. As propostas inspiram uma produção sexy para festa.

 

Surrealismo fashion

Guo Pei
Guo Pei
Jean Paul Gaultier

 

Um quê de “Alice no País das Maravilhas” habitou a mente criativa de alguns designers, que colocaram todo o surrealismo em jogo para criar as produções mais exóticas que se possa imaginar. Vale se inspirar em cores, tecidos e elementos, já que a proposta é completamente conceitual. No caso do vestido de “casa de boneca” de Dior, a blusa e meia arrastão já dão o tom criativo para um look rock and roll.

 

Onça camuflada

Valentino
Jean Paul Gaultier
Ronal van der Kemp

 

O anima print da temporada é mais fluido no sentido gráfico da palavra. As estampas aparecem mais leves, desfocadas e em diversas proporções, que traduzem uma mulher concetada com a natureza, mas selvagem em sua personalidade.

 

Excelentíssima

alta-costura
Fendi
alta-costura
Iris van Herpen
alta-costura
Jean Paul Gaultier

A versão rainha contemporânea acaba de ser atualizada pelas coleções de alta-costura. Um ar sofisticado, mas clean em sua essência, foi caracterizado com mangas semi bufantes, capas longas e tecidos brilhantes.

 

Pop 80’

Ronald van der Kemp
alta-costura
Schiaparelli
alta-costura
Dundas

 

A década de 80 foi relembrada com doses nada homeopáticas de elegância. Cores, estampas, ombros marcados, tecidos incorpados  sugerem uma moda divertida, de luxo e jovem.

Deu branco!

alta-costura
Dior
alta-costura
Ralph & Russo
alta-costura
Fendi

 

Um monocromático clean e sofisticado foi obtido através do branco, que ressignifica seu poder na estação fria. Tecidos incorpados e linhas retas comprovam o caráter minimal da tendência.