Queridas leitoras e queridos leitores, já que aqui na Turquia estamos entrando no verão, quero muito que vocês conheçam uma das cidades mais populares entre os amantes das altas temperaturas: a cidade de Bodrum. Famosíssima pelas praias, pelos resorts chiques, pelas baladas noturnas e pelas casinhas brancas com sacadas decoradas com lindíssimas flores de cor roxa, essa pequena cidade à beira do mar Egeu é lar de umas 160.000 pessoas nos meses de inverno. Porém, no verão podemos multiplicar isso por dez. Não são somente os turistas locais a lotam, ela também recebe pessoas de vários países do mundo. Conhecida na antiguidade como Halicarnasso, essa cidade encantadora oferece uma imensa quantidade de praias e enseadas ao redor da península na qual fica situada. A península de Bodrum é reconhecida mundialmente por ter um clima muito agradável e ser o lugar de nascimento do famoso Heródoto, historiador e escritor que nasceu aqui em 484 antes de Cristo. O centro de Bodrum fica super movimentado, sobretudo a noite, com vários clubes/discotecas que só fecham as portas quando o povo local acorda para ir para pescar ou sair para fazer compras na feira. Mas, fiquem tranquilos! Você não se preocupar com o agito porque os resorts estão a meia hora de carro do centro da cidade, situados bem perto da água cristalina. Será impossível não se render a um mergulho antes mesmo de tomar o famoso café da manhã turco. Entre os resorts em quais meus clientes costumam ficar posso recomendar muito o Kempinski Bodrum Barbaros Bay, o Mandarin Oriental Bodrum, o Swissotel Bodrum Beach, e o que acabou de ser inaugurado: Six Senses Bodrum (nem consegui ir ainda para conhecer pessoalmente, mas dizem que é espetacular). A ida para Bodrum é bem fácil, apenas 50 minutos de avião de Istambul e, no verão, a oferta de voos é abundante. Chegando lá, a maioria dos resorts oferece traslados do aeroporto aos hotéis. Da muito fácil passar uma semana lá, já que fora de praia e mar tem vários lugares para você visitar como o famoso castelo de São Pedro, o qual abriga o museu de achados subaquáticas, um acervo enorme. Tinha aqui na antiguidade uma das sete maravilhas do mundo, o famoso Mausoléu do rei Mausolos (do qual deriva a palavra Mausoléu), porém depois de um grande terremoto ele ficou destruído e a maioria das pedras foram usadas na construção da fortaleza de São Pedro. O que também é muito atrativo é fazer um passeio diário com os famosos barcos “Gulet”. São barcos produzidos lá em Bodrum que saem de manhã para várias praias e ilhas afastadas e param para você tomar banho nas águas cristalinas do mar Egeu. Até uma das praias, conhecida como “Aquário”, de tão clara e tranquila. Na hora do almoço, a tripulação do barco grelha peixe e oferece um lindo almoço numa das praias com cenário de filme. Poderia escrever muito mais sobre essa cidade charmosa, saibam que para quem tem interesse sempre estou à disposição para responder suas perguntas. Meu Instagram já está aqui. Um beijo bem grande de Istambul
@guiaturca

Por Gonca Kaya

Fora os monumentos a plena vista como a fascinante Santa Sofia ou a famosíssima Mesquita Azul, temos, também, aqui em Istambul, lugares que ficam mais escondidinhos, porém muito surpreendentes. Um desses monumentos sem dúvida é a Cisterna Subterrânea.

Com entrada localizada bem em frente à Santa Sofia, vista de fora, a Cisterna lembra apenas uma pequena casa. Porém, a mágica acontece quando o visitante começa a descer as escadas, depois de ter comprado o seu ingresso, e percebe que há muito mais a ser visto por lá.

Cisterna da Basílica

De repente, você está imerso na história de 1500 anos atrás, próximo dos anos 530 depois de Cristo, numa enorme caixa d’água que cobre uma área de quase 10.000 metros quadrados com 336 colunas romanas, distribuídas em várias fileiras.

COLUNAS E PILARES

A Cisterna foi construída pelo imperador romano Justiniano e a intenção dele era garantir água acumulada em Constantinopla para abastecer os palácios e a população, principalmente em casos de emergência na cidade.

imperador justiniano
Imperador Justiniano

Os romanos eram tão bons engenheiros que desviaram a água de um rio que ficava a quase 30 km da Cisterna, onde era armazenada. Impressionante e com um sistema com arquitetura monumental, ela ficou conhecida mundialmente e já foi usada diversas vezes em filmes de James Bond, como o “Moscou contra 007”, protagonizado por Sean Connery, e “Inferno”, do livro de Dan Brown estrelado por Tom Hanks. No seu roteiro, não deixe de incluí-la como passeio indispensável.  Sua grandeza não transparece por fora, mas basta descer alguns degraus para mergulhar na história rica em detalhes da Turquia.

A Cisterna Subterrânea fica em frente à Santa Sofia e o ingresso por pessoa custa 20 liras turcas (aproximadamente R$ 14,00).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

catorze + três =