Exposição em Paris retrata história dos calçados
Publicidade

Por Edis Lima

                @beminparis

O Museu das Artes Decorativas de Paris continua a explorar a relação do corpo e a moda, com um componente tão surpreendente quanto original, o sapato abordando aspectos históricos e técnicos em torno da marcha. A exposição em Paris retrata história dos calçados, chamada “Marche e démarche”, (em português, “caminhada e marcha”), promete ser mais um grande sucesso no meio fashionista e acontece de 7 de novembro de 2019 a 23 de fevereiro de 2020.

Através dessa exposição, o museu explora o universo do sapato, abordando o status desse acessório indispensável e suas diferentes formas de uso, da Idade Média aos dias de hoje, tanto no Ocidente como em culturas não europeias. Como mulheres, homens e crianças, culturas e grupos sociais calçam ao longo dos tempos? Mais de 500 obras, entre sapatos de diferentes épocas, pinturas, fotografias, objetos de arte, filmes e peças publicitárias, originárias de coleções públicas e particulares francesas e estrangeiras, propõem uma leitura inédita dessa peça do vestuário, considerada ao mesmo tempo, comum e extraordinária. A cenografia da exposição é assinada pelo arquiteto-designer Eric Benqué.

Sapatinho de Maria Antonieta

O tema nasceu durante o estudo, nas coleções do museu, de um sapato usado por Maria Antonieta, em 1792. Este objeto é surpreendente em suas dimensões, pois mede 21cm de comprimento e apenas 5cm de largura. Como uma mulher, então com 37 anos, poderia deslizar o pé em um sapato tão pequeno? A pesquisa nos textos da época – crônicas, memórias, romances – revelou que as damas da aristocracia do século XVIII e a alta burquesia do século XIX  caminhavam pouco, que a mobilidade delas era controlada e que a mulher era, de certa forma, hostilizada no meio urbano.

A exposição faz uma análise do ato de andar  e calçar no cotidiano, da infância à idade adulta, na Europa, na África, na Ásia e na América. Do século XV ao século XIX,  constata-se que alguns fatores ambientais, como solos irregulares, por exemplo, restrigem o ato de caminhar, impondo o uso de calçados adaptados. Na França, durante a Ocupação dos Nazistas durante a guerra,  a penúria de matérias-primas resulta na fabricação de solados de madeira que tornam o caminhar brusco e barulhento. A exposição também explora o universo do sapato militar e o sapato como elemento central de fetichismo, como os usados pelas sensuais dançarinas do Crazy Horse, em Paris. Por fim, a exposição mostra técnicas que, ao longo dos séculos, agregam conforto ao sapato, conciliando ideal de beleza e mobilidade.

Benoit Méléard, sapato “ Homenagem à Calder”, coleção “O”, 1999

Muito além de uma abordagem sobre o sapato como simples acessório de moda, a exposição “Marche et démarche”, no Artes Decorativas de Paris, tem como objetivo despertar nossa curiosidade pelo sapato, esse acessório diário que temos a impressão de conhecer. Uma bela oportunidade para entender todo o trabalho técnico por trás do nosso indispensável sapato de todo dia.

Exposição “Marche e démarché”: universo do sapato
Quando?
7 de novembro de 2019 a 23 de fevereiro de 2020.
Onde? Museu das Artes Decorativas em Paris (Musée des Arts Décoratifs -107, rue de Rivoli -75001 Paris)

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here