Publicidade

Independente do ano em que você veio a este mundo, todos nós podemos aprender algo sobre estilo com nossos parentes mais velhos. Em entrevista ao site Who What Wear, estas influencers, com mais de 50 anos, contam sobre as gerações de tendências que vêm e vão. Como passaram a metade de suas vidas se aperfeiçoando na moda, agora elas podem reivindicar o que aprenderam com um forte senso de estilo pessoal.

Grece Ghanem é uma personal trainer de 54 anos de idade que vive em Montreal, no Canadá. Destemida e dona de uma personalidade marcante, possui uma grande aptidão para mixagem de estampas e tem como marcas favoritas Céline e Gucci.

View this post on Instagram

Wild at heart ♥️

A post shared by Grece Ghanem (@greceghanem) on

Lyn Slater é escritora do blog Accidental Icon, tem 65 anos de idade e vive em Nova York. Como professora de Direito, sua veia acadêmica a ajudou a pesquisar sobre o que estava em alta na internet e estudar o mercado para criar algo que ainda estava faltando nas redes. Assim, viu sua carreira na moda decolar quando começou o blog, há vários anos.

Renata Jazdzyk tem 52 anos, é do Reino Unido, e gosta de apostar em todos os tipos de street style. Renia, como gosta de ser chamada, é autora do blog Ven’s Wife Style, onde escreve sobre moda, estilo e beleza.

Confira os “erros” da moda que fizeram essas mulheres experientes aprenderem importantes lições de estilo:

Erro um: usar apenas um tom de cor ou uma estampa por vez

“O color-blocking e mix de estampas podem elevar um look básico, tonar você estilosa e pronta para o street-style. Eu aprendi a transformar meus looks com um estilo ousado, misturando vermelho e fúcsia ou as estampas listradas com animal print.”— Grece Ghanem

Erro dois: interpretar errado a expressão “saltos matadores”

“Eu sou uma viciada em sapatos em todos os sentidos! Porém, aprendi a negar lindos sapatos se seus saltos forem muito altos ou desconfortáveis, o que me impediam de andar com confiança. Lembre-se: tênis não são somente para a academia. Eles dão o perfeito mix para os vestidos mais femininos. No final do dia, você estará vestindo a peça e não ela te vestindo. Para fazer jus ao sapato, você precisa ser capaz de andar.” — Ghanem

Erro três: Comprar apenas na seção feminina

“Ouse dar um passo para dentro das sessões masculinas para encontrar aqueles suéteres e peças oversized e criar um look descontraído na melhor vibe relaxed. Eu aprendi a nunca assumir meu tamanho, a aumentá-lo por um look oversize, mas nunca diminuí-lo. Usar uma roupa que é muito pequena ou muito apertada é definitivamente um erro fashion pra mim.” — Ghanem

Erro quatro: Usar algo que não seja 100% eu

“Isso acontece raramente, mas ás vezes eu tento profundamente usar algo que eu sei que não é pra mim. Eu amo tanto a peça no cabide que a uso da mesma forma, e sempre termino sem me sentir confortável. Isso impacta meu humor e me deixa ansiosa. Então, se eu não me sinto 100% eu em uma roupa, mesmo que a ame, eu não uso. Isso inclui contar aos diretores criativos o que funciona pra mim, caso eles queiram que eu vista algo (como uma minissaia preta de couro) que não sou eu.” — Slater

Erro cinco: Combinar todos os acessórios perfeitamente

“Outro erro meu era o de ter certeza de que todos os meus acessórios estavam perfeitamente nas mesmas cores, e eu geralmente usava todos eles de uma só vez. Lenço, cinto, bolsa, sapatos – todos eles tinham que combinar e ser da mesma cor, seguidos pelas joias. Agora eu acredito que menos é mais. Todos eles não precisam combinar sempre! Ás vezes, misturar cores e estampas podem resultar em criações únicas e exclusivas. Graças ás cores, nossos looks ficaram mais interessantes, mais energéticos e nos ajudam a parecer mais jovens.” — Renata Jazdzyk

Erro seis: Usar somente preto e cinza

“No passado, meu guarda-roupa era cheio de peças, mas apenas em dois tons: preto e cinza. Eu havia tirado todas as outras cores do armário. Como resultado, não importava o que eu vestisse e o quão interessantes eram minhas saias, blusas e calças, eu sempre parecia a mesma. Com o passar dos anos aprendi a quebrar esse hábito e comecei a adicionar cores aos meus looks. Eu não tenho mais medo das cores. Muito pelo contrário, acho que eles refletem melhor minha personalidade” — Jazdzyk.

 

Publicidade