Publicidade

ZMAGAZINEEmbora a imagem representada por um rabo-de-cavalo baixo e grisalho, terno preto e das luvas de couro com os dedos à mostra ser mundial e facilmente reconhecida, Karl Lagerfeld sempre surpreendia com novas faces. Com criações marcadas pelo ecletismo, sua mente criativa era sempre capaz de mostrar um novo lado mítico do alemão.

O kaiser, assim lembrado pelo império de trabalho que construiu em sua trajetória, atuou até sua morte, aos 85 anos, com desfiles e coleções em jogo. Diretor criativo da Chanel desde 1983, Karl Lagerfeld era responsável, também, pela italiana Fendi e sua grife homônima. Mais do que isso. No fundo, Karl era, também, uma marca. Não só pelos produtos que ganharam vida a partir de suas características marcantes, mas pelo valor e significados criados em cima de uma personalidade que passeava entre os extremos e sabia a dose perfeita do equilíbrio entre a sensibilidade e a excentricidade.

De um lado, talento, hobbies e uma polidez inquestionável. De outro, declarações polêmicas e nem um pouco politicamente corretas. Com ironia, não raramente dizia que Gabrielle Chanel “odiaria” o trabalho dele. Mas, como não pensar o contrário ao observar o universo Chanel que ele deu vida. Sim, foi Karl quem ressuscitou a marca, que em 1893 enfrentava o momento mais crítico de sua história. “Todos me disseram: ‘não mexe nisso, está morto, acabou”, contou em diversas entrevistas. E ele viu vida.

Movido pela própria criatividade – que o desafiava a cada coleção, Lagerfeld criou uma fórmula que o permitia chegar sempre perto da exatidão de seus projetos. Além de saber exatamente o que queria, tinha o dom de traduzir muito bem suas ideias às exímias costureiras da grife, através de seus notáveis desenhos. Sua paixão por música, fotografia e livros o tornavam mais completo profissionalmente. Isso o permitia transformar desfiles em shows. Supermercados, foguetes, praias artificiais foram algumas de suas criações de arrancar suspiros e levar os convidados a outras dimensões. Por ter uma visão ampla e dinâmica sobre arte em geral, Karl fazia um parte de todo o processo de criação. Para se ter ideia, foi ele quem clicou as campanhas mais recentes da Chanel!

Gênio, kaiser, ícone. Dentre as infinitas definições que cabem à Karl, o que se sabe é que sua capacidade de se reinventar a todo tempo e capturar o espírito da época, o levou ao título de mais ágil e criativo diretor de moda. Veja, é possível enxergar um arco-íris de cores no universo p&b de Karl!ZMAGAZINE

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezenove − três =