“Esse tem sido o trabalho da minha vida: o esforço para aprender a fazer sapatos que sempre servem e a recusa de pôr o meu nome a qualquer um que não sirva. Por isso, por favor, olhem por trás da história do rapaz pequeno, descalço e sem alfabetização que se tornou um famoso sapateiro, e procurem o prazer que obterão ao caminhar bem”. Estas são as palavras finais do prefácio da autobiografia de Salvatore Ferragamo, o conto de um pioneiro que ligou a sua história ao mundo do cinema. E agora a sua autobiografia traz-nos de volta ao cinema! Salvatore Ferragamo apresenta novo documentário no Festival de Veneza.

“Ficamos muito contentes por saber que o filme sobre a vida do meu pai seria apresentado no Festival de Veneza”, anunciou Ferruccio Ferragamo. “É uma honra para mim e para toda a minha família que um diretor do calibre de Luca Guadagnino se interessasse pela história da nossa família, adaptando-a para a grande tela”.

O documentário não só traça a viagem artística de Ferragamo, como conta a história por trás do homem através dos dois mundos profundamente entrelaçados que ele habitou: a Itália e a América. Acompanha Salvatore desde a sua terra natal, na região sul italiana da Campania, até aos Estados Unidos, desde aprendiz de sapateiro em Nápoles até ao dono da Hollywood Boot Shop na Califórnia, passando pela sua decisão de regressar a Itália, de viver e trabalhar em Florença, dominando o seu ofício e ascendendo ao sucesso como homem de negócios. Tudo isto no espaço de uma vida marcada pela genialidade e intuição, os próprios traços que o ajudaram a superar as dificuldades que enfrentou.

O projeto teve início em 2017 quando Luca Guadagnino, inspirado pela sua leitura da autobiografia do sapateiro e empresário italiano, se dirigiu à família Ferragamo, que lhe abriu as portas dos arquivos da grife, dando-lhe acesso a entrevistas, histórias de família e outras informações, bem como às últimas e preciosas palavras de Wanda Miletti, esposa de Salvatore. Durante três anos, a Fondazione Salvatore Ferragamo e o Museo Salvatore Ferragamo trabalharam com a diretora e roteirista Dana Thomas, partilhando conhecimentos históricos e profundos. As gravações de Salvatore lendo em voz alta alguns dos capítulos da sua autobiografia, que foram restaurados para a ocasião, e as entrevistas de rádio que ele deu na Austrália também se revelaram inestimáveis para as suas pesquisas.

“O que é o gênio? Como é que um sistema começa, seja filme ou moda? E como é que uma obsessão intensa com a constante procura de novas ideias e criação se funde com a tradição e os valores familiares? A vida de Salvatore Ferragamo (1898-1960), protagonista e observador do século XX, é a resposta a estas questões”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here