BEFW 4ª edição: economia criativa, inovação e tecnologia conduzem a mudança para uma moda mais sustentável

0
373
Publicidade

O Brasil é a maior cadeia têxtil completa do Ocidente. Engloba desde a produção das fibras, como a plantação de algodão, até os desfiles de moda, passando por fiações, tecelagens, beneficiadoras, confecções e forte varejo. À medida que a economia global caminha em direção ao conhecimento e à transformação digital, a moda recebe a tarefa de liderar a mudança para uma produção inovadora, circular e sustentável, que atenda às exigências do meio ambiente e do mercado.

Com o tema “Conectar para regenerar: Moda e Planeta”, a 4ª edição do Brasil Eco Fashion Week está acontecendo no formato online, de 18 a 28 de novembro. São 33 painéis de conversa, 13 workshops e 18 desfiles que apontam realizações no segmento de moda sustentável. O evento apresenta novas propostas para este segmento que promove desenvolvimento social e econômico, e emprega 75% de mulheres em sua cadeia produtiva no país, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção – ABIT.

BEFW
Da Tribu_MercadoEco crédito: divulgação
O evento teve em sua abertura o painel “A Economia Criativa como estratégia de desenvolvimento sustentável”, apresentado pela doutora Claudia Sousa Leitão, especialista em Economia Criativa, pesquisadora de Indústrias Criativas da Universidade Estadual do Ceará, e consultora da Organização Mundial do Comércio (OMC) e da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

Em sua apresentação, a especialista reforçou que a economia tradicional depende da Economia Criativa para se desenvolver. “Enquanto a confecção é um setor tradicional da indústria, o design de moda é o que vem transformando essa indústria”, e ressalta a importância de refletir sobre as contribuições do setor para a sustentabilidade do planeta. “A moda, enquanto setor criativo, deve se comprometer com o desenvolvimento sustentável que valorize e proteja a biodiversidade cultural”, afirmou.

BEFW2020: produtos inovadores, convidados internacionais e aplicativo

Outro tema de destaque do evento foi abordado no painel “EcoDesign brasileiro e Mercados Globais”, mediado por Geni Rodio, consultora de moda e mercado da ABIT. Entre as integrantes, estão a CEO da marca paraibana Natural Cotton Color, Francisca Vieira, e a consultora criativa e representante da Frasson Gallery Magazine e Dossier Arts and Fashion, Alexandra Bismark.
A conversa teve foco nos elementos e diferenciais para atrair e atender o exigente mercado internacional. Neste painel, houve também a presença de Giuliana Bortolato, compradora internacional e curadora da Emerging Talents Milan. Ela visitou o 3ºBEFW, em 2019, e firmou parceria com o evento para a realização de desfile de marcas brasileiras selecionadas, no evento italiano da Semana de Moda de Milão, em 2021. Esta ação integrará o projeto de incentivo à internacionalização de marcas, chamado de Brasil Eco Fashion Exportação.
BEFW
Nalimo crédito: divulgação

Já os parceiros corporativos Renner e Sebrae Nacional – apoiadores desde a primeira edição do BEFW – trazem para o evento o case “Encadeamento Produtivo e Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS’s) na cadeia de fornecimento” com a participação de Eduardo Ferlauto e Vinicios Malfatti, da Renner e Renato Perlingeiro Salles Junior do Sebrae. Os painelistas dialogam sobre práticas que têm como objetivo o desenvolvimento de pequenas e médias empresas para temas como qualidade e sustentabilidade, eficiência, cooperação e inovação.

Há mais orientações para conquistar espaço no mercado com o painel “A busca por sustentabilidade no consumo online de Moda”, via Mercado Livre. O maior marketplace da América Latina é patrocinador do evento, e será representado na programação pelo supervisor de Marketplace de Moda e Esporte, Tiago Corrêa. Ele destacou como funciona a nova aba ‘Consumo Consciente’ da plataforma, e apresentou resultados de pesquisas de tendência de consumo para o mercado ‘verde’.

Outro importante tema foi apresentado por outros parceiros do evento. “Gestão 4.0 no desenvolvimento de produtos”, com Michele de Sousa, do Senai Cetiqt, Matheus Fagundes, da Audaces e Carolina Pires, da Lupo, trocaram informações sobre como a gestão de processos, alinhada à tecnologia e inovação conduzem a moda para o caminho da sustentabilidade. O painel tem mediação de Fernando Pimentel, presidente da ABIT.

De acordo com Rafael Morais, diretor executivo da Brasil Eco Fashion, realizadora do BEFW, a ideia é reunir criadores, pesquisadores e lideranças da indústria, do varejo e da produção tecnológica para criar uma rede de cooperação e aprendizagem mútua. “A partir do compartilhamento de informações e experiências podemos gerar novas oportunidades de negócios para a moda sustentável”, diz.

Plataforma para exibição e rastreabilidade de marcas

A exibição de produtos do Mercado Eco (espaço para venda de vestuário e acessórios de slow fashion), acontece nessa edição online, através do aplicativo “Brasil Eco Fashion”, que estimula a transparência na cadeia produtiva, entre as cerca de 60 marcas selecionadas.
Além de apresentar uma seleção variada de produtos, a plataforma tem a funcionalidade de gerar um QRcode com criptografia em blockchain, contendo as informações de rastreabilidade fornecidas pelas marcas — como matérias-primas, fornecedores e custos — para ser impresso nas TAG’s que vão junto aos produtos. O aplicativo pode ser baixado no celular, nas lojas Google Play e Apple Store, ou acessado por brasilecofashion.com.br/mercadoeco.
BEFW
TA Studio crédito: divulgação

Entre as marcas que exibirão seus produtos estão Tiê Moda Sustentável, Laluz Brasil, Misnella, O jardim, Nós mais Eu, Coletivo Des, Razão Social, Wendyel Borin, Thami Smidi, Paula Feber e Dona Rufina – trazendo diversidade de produtos, elaborados em processos produtivos com práticas de responsabilidade ambiental e social.

Marcas responsáveis na passarela

Nesta edição temos uma presença internacional: a Afroricky, de Maputo, Moçambique. A estilista Ricância Agira apresentará coleção com uso de algodão orgânico colorido da Paraíba, tons tingidos com vegetais e aplicações de recortes em capulana — print africano que é patrimônio de seu país.
Serviço:

Brasil Eco Fashion Week – 4ª edição
Formato Online
18 a 28 de novembro
11h às 20h30

Canais do evento:

Site: brasilecofashion.com.br/week
Instagram: @brasilecofashionweek
Linkedin: Brasil Eco Fashion We

Publicidade

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here