Entre mãos que costuram, mentes que criam e linhas que tecem narrativas, o diretor criativo da Modem, André Boffano, um dos principais destaques da nova safra de designers do país, surpreende a cada temporada. Na edição N48 do SPFW, ele resolve revisitar a própria marca como fonte de inspiração para a nova coleção. “Esta coleção da MODEM foi um exercício técnico feito a partir de elementos da própria marca. Um exercício de evolução de modelagens e aprimoramento do DNA da marca”, explica André. O resultado você já viu na capa Moda Modem e tem detalhes a seguir!

A coleção

Com releituras daquilo que já foi construído durante seus quatro anos de existência, a Modem desenvolveu a coleção a partir de uma pesquisa sobre volumes e formas. Como uma “colagem 3D”, o diretor criou novos olhares para as silhuetas, por meio de técnicas de moulage.

A assimetria, que já faz parte do DNA da marca, apareceu nos plissados e nas sobreposições de tecidos e deu vida a uma alfaiataria desconstruída e descontraída.

Na paleta, o destaque fica para cores sóbrias, como cáqui, bege, marrom e verde, que flertam com tecidos tecnológicos e estampas e jacquards florais inspirados no trabalho da ilustradora inglesa Margaret Mee, que criou ilustrações botânicas da vegetação amazônica.

Sobre ele

Em tempos em que a inspiração vem sempre de fora, Andre mergulhou no próprio DNA da marca para trazer referências para a nova coleção. O estilista é um dos destaques brasileiros e, em sua trajetória, morou sete anos em Paris, onde estudou Estilismo/Modelismo na École de la Chambre Syndicale. Fez estágio com Giambattista Valli e Barnabé Hardy, além de ter passado pela gerência de produto da linha masculina na Givenchy. Em 2014, de volta ao Brasil, deu o start no desenvolvimento da Modem, ao mesmo tempo em que se dedicou como Head Designer da Bob Store.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × dois =