Entre mãos que costuram, mentes que criam e linhas que tecem narrativas, o diretor criativo da Modem, André Boffano, um dos principais destaques da nova safra de designers do país, surpreende a cada temporada. Na edição N48 do SPFW, ele resolve revisitar a própria marca como fonte de inspiração para a nova coleção. “Esta coleção da MODEM foi um exercício técnico feito a partir de elementos da própria marca. Um exercício de evolução de modelagens e aprimoramento do DNA da marca”, explica André. O resultado você já viu na capa Moda Modem e tem detalhes a seguir!

A coleção

Com releituras daquilo que já foi construído durante seus quatro anos de existência, a Modem desenvolveu a coleção a partir de uma pesquisa sobre volumes e formas. Como uma “colagem 3D”, o diretor criou novos olhares para as silhuetas, por meio de técnicas de moulage.

A assimetria, que já faz parte do DNA da marca, apareceu nos plissados e nas sobreposições de tecidos e deu vida a uma alfaiataria desconstruída e descontraída.

Na paleta, o destaque fica para cores sóbrias, como cáqui, bege, marrom e verde, que flertam com tecidos tecnológicos e estampas e jacquards florais inspirados no trabalho da ilustradora inglesa Margaret Mee, que criou ilustrações botânicas da vegetação amazônica.

Sobre ele

Em tempos em que a inspiração vem sempre de fora, Andre mergulhou no próprio DNA da marca para trazer referências para a nova coleção. O estilista é um dos destaques brasileiros e, em sua trajetória, morou sete anos em Paris, onde estudou Estilismo/Modelismo na École de la Chambre Syndicale. Fez estágio com Giambattista Valli e Barnabé Hardy, além de ter passado pela gerência de produto da linha masculina na Givenchy. Em 2014, de volta ao Brasil, deu o start no desenvolvimento da Modem, ao mesmo tempo em que se dedicou como Head Designer da Bob Store.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

13 − 12 =