Publicidade

*por Lara BiffeWhatsApp Image 2020 10 16 at 11.57.07
No último bate-papo do primeiro dia de Iguatemi Fashion Talks, a editora sênior de moda da Vogue Brasil, Vivian Sotocórno conversa com o Diretor Geral da Tiffany&Co. do Brasil, Maximiliano Suffriti, a Gerente Geral da iRetail, Manoela Mendes e co-fundadora da Gallerist, Amanda Cassou sobre a transformação do Omnichannel nos varejos e qual forma a pandemia influenciou no aumento de vendas online.

Maximiliano Suffriti começa sua fala enaltecendo a importância de poder oferecer aos clientes canais de acordo com a maneira que o mesmo deseja comprar, sendo através de lojas físicas, que atualmente existem mais de 300 Tiffany&Co. pelo mundo, ou e-commerce. Dando continuidade, Sufrriti afirma que canais alternativos durante a pandemia foram importantes e que ajudaram a clientes perderem o medo de usar tal recurso. A busca diária das empresas no processo de poderem elevar a experiência do cliente, e entre isso, a definição de onde o cliente prefere ser atendido, conclui Maxmiliano.

Complementado assim, a fala do Diretor Geral da Tiffany&Co. no Brasil, Amanda Cassou conta sobre seu e-commerce de multimarcas, a Gallerist, que começou somente com a proposta online, porém, com o passar do tempo, Amanda e sua sócia decidiram que era o momento de abrir uma loja física. Isso porque, afirma Cassou, a participação do brasileiro em compras por e-commerce era fraca comparada aos outros países, as clientes acabavam pedindo para ver as peças pessoalmente, ou se possuía um showroom, vendo esta oportunidade resolveram abrir sua primeira loja física em São Paulo, que posteriormente viraram 4 lojas, em São Paulo e em Curitiba, de acordo da demanda de compras online que esses lugares apresentavam. A co-fundadora da Gallerist ainda comentou que a abertura de uma loja física trouxe diversos pontos positivos que são particulares, como por exemplo o feedback instantâneo dos clientes que ajuda na melhoria tanto do canal como das lojas físicas.

Manoela Mendes, Gerente geral da iRetail, a partir de sua fala cita como o varejo físico e online são coisas diferentes que precisam se relacionar, precisam se complementar, com conhecimento e clareza dentro do papel de cada canal de compra. Mendes ainda afirma que acredita que existam produtos online que nunca estarão no físico, e vice e versa, porém, criar uma percepção unificada entre os dois meios é uma meta para qualquer empresa e também um desafio, criar uma comunhão entre esses dois canais, finaliza a Manoela.

Perguntado pela editora sênior da Vogue Brasil sobre o futuro da loja física e se haverá alguma mudança pós pandemia, Maximiliano comenta que sempre existiu esse mito que o crescimento das vendas online resultaria na diminuição das vendas físicas, porém não é uma realidade em sua opinião. Isso porque Max acredita que a experiência física cativa o cliente, o que faz com que o produto e o trabalho se conectem com o consumidor. “Vemos cada vez mais a loja física sendo uma parte muito importante do Omnichannel”, concluí o diretor geral da Tiffany&Co. Brasil.

Para Amanda Cassou, se não inovar o e-commerce, se não tiver um atrativo, as pessoas sempre vão preferir o mais conveniente. Outros canais podem surgir que serão necessários para que o e-commerce sobreviva, cita Cassou. Isso também se aplica ao futuro das lojas físicas, que procuram inovar na forma como se comportam, com lugares “instragamáveis” por exemplo, que atraem uma mídia espontânea muito rica que agrega a loja física. “Quanto mais visibilidade ela traz, melhor. Vira um outdoor, um lugar memorável”, conclui Amanda.

O bate-papo chega ao fim com uma fala de Manoela Mendes sobre os caminhos para seguir e abrir o próprio e-commerce. Um deles é entender como vai ser o tamanho e estrutura tecnológica para isso, e então abrir algo independente ou procurar se associar a e-commerces que já possuem plataformas que cuidam desses canais tecnológicos, como o iguatemi365 por exemplo. Para entender quando for dar um passo online, procurar delimitar qual parceiro deve ser melhor para sua marca ou caminhar sozinho para um canal que complemente aquilo que sua marca quer passar, finaliza Manoela.

 

* Lara Biffe tem 20 anos, atualmente estudante de jornalismo na PUC Campinas, sempre foi apaixonada por moda e possui experiência com blogs e produção de conteúdo por 4 anos. Lara contribui com a cobertura do Iguatemi Talks Fashion para o site da Z Magazine.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here