Falar sobre roupas e tendências enquanto há mortes por todo o mundo por um vírus sem precedentes, até poderia soar supérfluo se não fosse os caminhos de propósito que a moda têm buscado. Depois de anos com desfiles voltados para uma minoria seleta, as marcas precisam repensar o posicionamento perante um novo consumidor, mais preocupado com o planeta e com as próprias pessoas.

Essa é a proposta das grifes que se apresentam do São Paulo Fashion Week, que começa nesta quarta-feira, 4 de novembro, e vai até o domingo em formato digital e com intervenções artísticas pela cidade de São Paulo, com nomes como Alexis Anastasiou, Richard Luiz, Marcelo Soubhia e Felipe Morozini como os curadores da edição.

tela em branco 1
Irrita, marca estreante da edição (Foto: Cassia Tabatini)

A ideia do evento é acontecer de forma interativa, sem aglomerações e substituindo o ponto fixo do evento por projeções em algumas regiões do centro histórico da cidade, que poderão ser acompanhadas em tempo real e gratuitamente por lives no Youtube. Uma forma de celebrar os 25 anos do evento com uma moda mais democrática e acessível.

Além disso, após reuniões do coletivo @pretosnamodabr com o São Paulo Fashion Week, foi criado um Tratado Moral que, entre alguns temas, garante que pelo menos 50% do castings devem ser de modelos racializados (negros, indígenas ou asiáticos). O tratado foi assinado por diversos profissionais da moda, como produtores, stylists, diretores de desfile, donos de agências de modelos, que se comprometem a assegurar jornadas de trabalho condizentes, pagamentos adequados na indústria de moda brasileira já vigente nessa edição #SPFW25anos.

Em carta para a imprensa, a organização do evento revela:
“Liberdade, Diversidade, Criatividade, Coletividade, Conhecimento, Sustentabilidade são compromissos de alma que seguem pautando nossos próximos capítulos. O SPFW é em sua essência um grande encontro de pessoas, um espaço de criação coletiva. Reconhecer o que nos trouxe até aqui permite reafirmar o propósito do que fazemos, para desenhar os próximos passos de um novo ciclo que envolve muitos públicos e vários interesses”.

São 36 marcas em quatro dias de desfiles. Confira as participantes:

04 de novembro (quarta-feira)

14h – Fernanda Yamamoto
15h – Victor Hugo Mattos
16h – Irrita
18h – Isabela Capeto
19h30 – ÁLG
21h30 – Lenny Niemeyer

05 de novembro (quinta-feira)

14h00 – Korshi 01
16h00 – Ponto Firme
18h00 – A.niemeyer
19h30 – Alexandre Herchcovitch, 50 Anos, Estilista
20h30 – Amir Slama
21h30 – Another Place

06 de novembro (sexta-feira)

14h00 -Lucas Leão
15h00 – Led
16h00 – Misci
18h00 – Renata Buzzo
19h30 – Juliana Jabour
20h30 – Handred
21h30 – João Pimenta

07 de novembro (sábado)

14h00 – Martins
15h00 – Cacete
16h30 – Modem
18h00 – Ão
19h30 – Amapô
20h30 – Freiheit
21h30 – Lino Villaventura

08 de novembro (domingo)

14h00 – Gloria Coelho
15h30 – Apartamento 03
17h00 – Aluf
18h30 – Angela Brito
19h30 – Neriage
20h30 – Isaac Silva
21h30 – Ronaldo Fraga

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here