Publicidade

Com um suporte financeiro da Laudes Foundation por ter sido selicionado para o edital global “Fazendo a transição para uma indústria da moda circular e inclusiva”, lançado em 2019, o Modefica, juntamente com o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGVCes) e a consultoria Regenerate Fashion, lançam o relatório Fios da Moda: Perspectiva Sistêmica para Circularidade.

Imagem: Divulgação Unsplash

Com essa ação, as empresas envolvidas chamam a atenção para reavaliar a maneira como os produtos de moda são desenvolvidos e consumidos, ressignificando o conceito de sustentabilidade e levando em prática o conceito de economia circular às empresas. Além disso, a campanha de divulgação contará com um filme inédito, música original, workshops, ferramentas para profissionais da moda e o acesso gratuito da pesquisa na íntegra através do site.

“Esse relatório é um grande passo em direção à circularidade da moda brasileira considerando as necessidades particulares do país e da indústria local, assim como o cenário social. Entender os impactos socioambientais das fibras no contexto brasileiro é essencial para que possamos tomar decisões objetivas no combate à crise climática e à desigualdade”, comenta a Especialista em Sustentabilidade na Regenerate Fashion, Larissa Roviezzo.

Dados acessíveis sobre os impactos socioambientais das três matérias-primas mais utilizadas pela indústria têxtil e moda – algodão, viscose e poliéster – poderão ser compartilhados com estilistas, comerciantes, designers, desenvolvedores de produtos, professores e estudantes do mercado da moda. Também, será possível entender como estas fibras fluem no sistema de produção nacional e descobrir cenários alternativos para uma moda capaz de gerar impactos positivos na sociedade.

O grande objetivo da divulgação dessa pesquisa apronfundada sobre os impactos sociais e ambientais da produção de roupa no país, é propor uma moda circular para o Sul global. O Brasil enfrenta dificuldades na transição para economia circular, principalmente de acordo com uma perspectiva social. O Brasil, sendo um dos maiores produtores globais de algodão e celulose solúvel (matéria-prima da viscose), a produção varia, em média 8,9 bilhões de peças ao ano o equivalente a 42,5 peças/hab/ano.

Concluindo, o relatório expõe que as dificuldades locais são possibilidades para inovação e desenvolvimento socioeconômico, ao passo que podem colocar o Brasil de volta no ranking da agenda do desenvolvimento sustentável, tanto no campo privado quanto no público.

As pessoas interessadas já podem se inscrever em: http://modefi.co/receber-fios-da-moda. Além do relatório em primeira mão, quem se inscrever receberá outras materiais que serão produzidos e oferecidos gratuitamente durante as próximas semanas.

Publicidade

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here