Pode parecer um absurdo, mas o Wifi, que tanto faz parte de nossas vidas, pode estar ajudando a envelhecer nossa pele. “Ele faz parte de um conceito maior de poluição digital ou Eletrosmog, um termo utilizado para designar a poluição de celulares, computadores e dispositivos que emitem luz azul, e podem causar quebra do DNA celular, dano às proteínas da pele, além de outros problemas mais sérios como: distúrbios hormonais, aglutinação de células sanguíneas, palpitações cardíacas, dor e pressão no peito e desregulação do sistema nervoso”, afirma Lucas Portilho, consultor e pesquisador em Cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma e Pesquisador em Fotoproteção na Unicamp. Para enfrentar o problema, a Consulfarma aproveita seu 14º Congresso Internacional de Tendências de Beleza para lançar o Creme Anti-Wifi, que reduz o impacto negativo do Eletrosmog. O evento acontece no Palácio das Convenções, no Anhembi-SP), de 11 a 13 de julho.

creme anti-wifi

De acordo com Lucas Portilho, as ondas eletromagnéticas ao entrar em contato com nossa pele deixam o tecido mais susceptível a agressores ambientais. No aumento de 40x no microscópio e após 6h de irradiação, a microscopia da epiderme humana reconstituída demonstrou que a irradiação com a Radiação Eletromagnética leva a uma descamação severa do estrato córneo.

O Creme Anti-Wifi é formulado com um ativo inovador lançado na última feira de Paris, a In Cosmetics: um blend de beta caroteno associado com óleos vegetais. Esse ativo tem alta capacidade antioxidante e protetora da pele contra esse tipo de poluição e pode ser incorporado em cremes, loções e protetores solares, devendo ser usado duas vezes ao dia, de manhã e à noite (exceto quando for filtro solar).

Serviço:

14º Congresso Internacional Consulfarma
Data: de 11 a 13 de julho
Horário: das 8h às 20h
Local: Anhembi – Av. Olavo Fontoura, 1209 – Santana

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

15 + nove =