Ação social Eu Visto o Bem participa do The Look of the Year 2023

Ação social que motiva a paixão e formação em costura por detentas apresenta peças produzidas em evento

0
95
Créditos: Reprodução Instagram Movimento Eu Visto o Bem.

Este ano as peças confeccionadas para o evento “The Look of the Year 2023“, contarão com o auxílio do Instituto Movi o Bem, braço profissionalizante do Movimento Eu Visto o Bem e que reúne detentas brasileiras para se formarem em costura e expressarem sua criatividade através da moda. Em colaboração com o SENAC, o projeto oferece formação psicossocial e capacitação técnica em costura para mulheres do sistema prisional, proporcionando não apenas habilidades profissionais, mas também uma oportunidade de desenvolvimento pessoal.

 

De acordo com Roberta Negrini, CEO e fundadora do movimento, esse tipo de ação é extremamente benéfica para a sociedade. “Ao aprenderem uma profissão como a costura, as detentas ganham não apenas uma fonte potencial de renda após a libertação, mas também um meio terapêutico para canalizar suas energias, reduzir o estresse e fortalecer os laços sociais, fundamentais para a reintegração pós-cárcere”, relata.

 

Com peças confeccionadas pelas detentas do projeto, a seleção do “The Look of The Year” conta com envolvidos em todo o país, responsáveis pela busca de candidatos. As etapas acontecem em seletivas presenciais e virtuais, onde os vitoriosos estarão no grande evento que celebrará a final nacional.

 

Para a CEO, ao patrocinar o “The Look of the Year”, o projeto social não apenas promove a integração das detentas e a valorização de suas habilidades, mas também oferece uma plataforma de visibilidade para o trabalho realizado por elas. “A participação das peças confeccionadas pelas mulheres do projeto no evento desafia os estereótipos e preconceitos em relação às pessoas em situação de reclusão, demonstrando que a arte e a habilidade não conhecem fronteiras ou limitações”, declara.

 

Além disso, a colaboração não apenas se destaca pela dimensão da visibilidade oferecida, mas também pela oportunidade de reforçar o impacto positivo na vida das detentas. “Ao verem suas criações sendo apreciadas e reconhecidas em um evento renomado, essas mulheres experimentam um aumento significativo na autoestima. Esse tipo de reconhecimento público não só destaca suas habilidades técnicas, mas também reafirma seu valor como membros produtivos da sociedade, contribuindo para sua reintegração efetiva após o período de encarceramento”, finaliza.

 

A grande final do “The Look of the Year” será realizada no dia 5 de dezembro, no Estúdio Mula Preta, em São Paulo.