A poluição, as baixas temperaturas e o tempo seco são características da temporada fria de outono e inverno, que influenciam no modo como a pele deve ser tratada. De acordo com o dermatologista Dr. Jardis Volpe, nessa época a pele produz menos oleosidade natural e, com isso, o ressecamento e as irritações aparecem com mais frequência. Além disso, a farmacêutica Mika Yamaguchi afirma que são necessários alguns cuidados especiais, pois não ter uma rotina de cuidados de maneira propícia no inverno reflete diretamente na qualidade da pele, que fica exposta a um grau mais elevado de poluição neste período. Para evitar alguns problemas, os especialistas pontuam alguns passos do skin care que você deve adicionar a sua check-list de beleza no inverno:

Aplique protetor solar — Mesmo na ausência de sol ou exposição a ele, o fotoprotetor é de uso diário e eterno. O Dr. Jardis orienta que a reaplicação deve ser de quatro em quatro horas em ambientes fechados e de duas em duas horas em fotoexposição direta. Além disso, para potencializar a fotoproteção, o uso de cremes ricos em antioxidantes como OTZ 10, Alistin, Vitamina C e Exo-P é o ideal.

Não use qualquer creme — Busque produtos cujos veículos sejam à base de Fosfolipídeos, que formam uma segunda pele e protegem de forma mais efetiva, diminuindo a perda de água por evaporação. Base Second Skin e agentes gelificantes como o Lecigel são exemplos.

Invista nos hidratantes e reparadores — Além de buscar produtos cujos veículos sejam à base de Fosfolipídeos, é ideal investir no ácido hialurônico de alto e baixo peso molecular associados, pois estimulam a produção de hidratação natural em todas as camadas da pele. Os cremes reparadores também são fundamentais e podem ser usados à noite para evitar os danos ambientais, como a poluição. “São substâncias antioxidantes com capacidade de reparo celular e que atuam contra os radicais livres”, comenta o Dr. Jardis. “Use substâncias como Overnight Repair, que se enquadram nessa categoria”.

Lembre-se dos pés, mãos e corpo — Hidratar essas regiões é fundamental. “No caso dos pés, passar o hidratante a base de fosfolipideos ou Nutriomega 3, 6, 7 e 9 e colocar uma meia de algodão ajuda a pele a absorver o produto mais facilmente. Nas mãos, invista nos ácidos hialurônicos. No corpo, a reposição lipídica deve ser eficiente, com opções como Dry Oil que tem na sua composição ésteres de karité e purcelin que podem ser associados a outros óleos, restabelecendo a hidratação da pele”, indica o médico.

Beba água e tome vitaminas — A hidratação da pele deve ser dinâmica, por isso beber bastante água é importante independente da estação. Alguns nutracêuticos também são recomendados para uma hidratação de dentro para fora, como o FC Oral ou as chamadas cápsulas de caviar, que restauram os danos e melhoram a fluidez.

Tenha cuidado com retinóides — Para tratamento de acne, manchas e rejuvenescimento facial, os retinóides são excelentes opções, mas devem ser usados com parcimônia e sob orientação, pois seu uso contínuo pode causar hipersensibilidade cutânea, vermelhidão e irritabilidade. Como alternativas, o médico indica substâncias naturais ao retinol, como Lanablue e alguns aminoácidos.

Evite banhos muito quentes — Ficar mais de 15 minutos em uma ducha quente é mais que o suficiente para comprometer a camada hidrolipídica da pele, que segura a hidratação. “Dessa forma, a pele perde água e lipídeos, o que compromete sua função de barreira. O ideal é banho morno e logo após o banho hidratar a pele”, finaliza o dermatologista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezessete + seis =