Moda pulsante no Brás: conheça o impacto do bairro no mercado da moda do Brasil

Polo tem um faturamento estimado em R$ 12 bilhões por ano e gera 200 mil empregos diretos e 400 mil indiretos

0
242
Foto: Freepik
Foto: Freepik

O bairro do Brás, localizado em São Paulo, é um dos principais responsáveis
por impulsionar inúmeras lojas brasileiras, independentemente do tamanho do comércio, do público e da região do país. São 55 ruas comerciais, 15 mil estabelecimentos (já contando lojas de rua, shoppings e galerias), um faturamento estimado em R$ 12 bilhões por ano e 200 mil empregos diretos.

Foto: divulgação Karyna Terrell e TerryTerrell
Foto: divulgação Karyna Terrell e Terry
Terrell

O livro Compre Bem Para Vender Muito Bem aborda como definir público-alvo, estratégias de compra com fornecedores, criação de uma loja, marketing e divulgação de produtos através dos conselhos certeiros e experiência de Karyna Terrell e Terry Terrell, casal à frente do canal Brás Aqui, o maior do segmento na internet, auxiliando mais de 3 milhões de seguidores a desmistificar o maior polo popular de vestuário e acessórios da América Latina, o Brás.

Com conteúdo abrangente e texto simples, o livro dialoga com o empresário, que já tem um negócio consolidado, e também com uma figura muito presente do cotidiano das cidades: o sacoleiro, além de ser parada obrigatória para quem quer começar um empreendimento no mercado da moda.

O mercado da moda continua sendo um dos segmentos que mais geram oportunidades de trabalho e empreendedorismo. De acordo com um estudo da Cortex, plataforma de inteligência de vendas, o comércio varejista de vestuário e acessórios liderou a abertura de novos negócios no país em 2022, com mais de 174 mil empresas iniciando suas atividades. Dados do IBGE confirmam o quanto esse setor impacta a economia, movimentando, somente em 2021, R$194 bilhões.

O bairro do Brás, localizado em São Paulo, é um dos principais responsáveis por impulsionar inúmeras lojas brasileiras, independentemente do tamanho do comércio, do público e da região do país. “Mesmo o Brasil oferecendo outros polos de moda ao lojista, é no Brás que as coisas acontecem. Além da alta concentração de confecções de atacado, conhecidas nacionalmente e internacionalmente, o bairro é pioneiro em lançar modelos que serão sucesso conforme as estações do ano”, explica a empresária Karyna Terrell, uma das criadoras do canal Brás Aqui e autora do livro “Compre bem para vender muito bem” (Editora Maquinaria).

Os números constatam o poder do bairro como maior polo atacadista
de moda da América Latina. Segundo levantamento da Associação de
Lojistas do Brás (ALOBrás), são 55 ruas comerciais, 15 mil estabelecimentos (já contando lojas de rua, shoppings e galerias), um faturamento estimado em R$ 12 bilhões por ano, 200 mil empregos diretos, 400 mil indiretos e uma média de circulação diária de 400 mil pessoas. “O Brás abriu espaço para o setor popular da moda no Brasil, expandiu com as peças e os preços e, nos últimos anos, registrou o aumento de pequenos confeccionistas que trouxeram
diversidade em produtos com valores acessíveis”
, argumenta a empresária.

O bairro se tornou referência não apenas de tendências, mas também de fomentação de negócios e economia. “Atendendo grandes estabelecimentos ou trabalhadores da informalidade, os conhecidos sacoleiros, ele se tornou atrativo porque alcança todo o país, desde pessoas que querem empreender até aquelas que buscam poupar na hora de comprar roupas, calçados e acessórios para a família”, completa. “Além de todo o acervo de moda, o Brás oferece opções de eletrônicos e conta com bons restaurantes, hotéis e opções de turismo, o que facilita a circulação de inúmeros compradores”, destaca a escritora, que também chama a atenção para a proximidade do bairro da rua 25 de março e do Bom Retiro, também considerados centros comerciais de fácil acesso e grandes oportunidades de negócios.

Quem está começando sua própria loja ou já tem um comércio, mas procura por novos fornecedores, pode encontrar no Brás o que precisa. Entretanto, a dica de Karyna é conhecer bem os fornecedores antes de arriscar e não comprar tudo o que vê, embasado na emoção. “Comprar com sabedoria, ter um bom plano de negócio e fazer sempre um respaldo para não ter dor de cabeça depois, estando preparado para o pior cenário, é o segredo do sucesso”, orienta a autora.

Encontrando bons fornecedores

Empreendedores precisam criar um relacionamento saudável e duradouro com as confecções que vão compor seu estoque. “Uma orientação é procurar um fornecedor antigo no mercado, mas que esteja atualizado nas tendências. Dessa maneira há menos chances de ele falir e você ficar sem o produto”, compartilha. “Um bom fornecedor é aquele que garante continuidade, de entrega e qualidade”, complementa a empresária.

Como em toda empresa, é necessário diversificar e com a moda não é diferente. “Não é bom depender de apenas um fornecedor, porque todos eles estão sujeitos a cair na mesmice ou estagnar”, aponta. Ter definido o público-alvo e nicho da loja (moda masculina, feminina, infantil, evangélica, casual, praia, boutique, gestante, entre outras) faz diferença no momento de vender.
“Comprar certo é a garantia de sucesso no seu negócio”, finaliza Karyna.

4 dicas para comprar bem no Brás

Elabore um plano de acordo com o nicho do seu negócio: “Definir quantidade de produtos, variações, tamanhos é o primeiro passo para não ficar com peças paradas no estoque. Compreender seus compradores também faz com que suas aquisições sejam mais certeiras na hora de vender”, salienta.

Use um mapa da região: “O Brás é muito grande e tem locais específicos para calçados, acessórios, produtos de boutique e compras em grandes quantidades. É bom entender o bairro para não se perder”, sugere Karyna.

Compras de varejo são liberadas às sextas e sábados.

Conheça seus fornecedores: “É recomendado que a primeira compra seja presencial, para conhecer as confecções e verificar se o produto atende as expectativas do seu cliente”, reforça a empresária.

Clique aqui e siga a Z Magazine no Instagram!