É no verão que as coleções brasileiras ganham destaque internacional. O país do tropicalismo, do verão, do sol e do mar abre as portas para uma paleta divertida, colorida e, acima de tudo, alegre. Tudo isso banhado de novos propósitos e coleções mais conscientes. A edição N47 da SPFW mergulhou em tendências cheia de raízes brasileiras, mas com uma pegada urbana que faz brilhar os olhos de quem as vê de fora (e de dentro, é claro!). Com mensagens sutis e escolhas inteligentes, as marcas retomam tendências que já despontavam no mercado, mas com visão global que valoriza o país, sem se apegar ao clichê tropical que já faz parte do DNA brasileiro. A Z selecionou seis tendências que tornaram a passarela dinâmica e prometem deixar o guarda-roupa do verão mais energético. Vamos lá!

Let it shine!

Se antes ele se restringia à festa, saiba que o brilho conquistou um título de versatilidade jamais visto nas ruas em plena luz do dia. Seja na forma de tecidos brilhantes ou através de adornos que criam efeito iridescente, essa tendência pode ser adaptada para situações do cotidiano, se unidas a peças mais casuais.

Maxi estampas

O país que é rei das estampas tropicais mostrou o poder de sua nova face. Isso porque os prints em tamanho big apareceram em quase todos os desfiles, porém de diferentes formas. Geométrico, fun, florais, abstratos e tie-dye são algumas das apostas que nos fazem fugir da tradicional estampa de folhagem.

Luz, câmera… NEON

Uma fonte pra lá de colorida serviu de inspiração para um mergulho dos estilistas nas referências dos estlistas na década de 1980. Eles, que já apareceram na última temporada em desfiles internacionais, garantiram seu espaço na paleta veraneia do hemisfério sul. Neon, babies! Sim, as cores vibrantes e fluorescentes podem ser o ponto de luz de uma produção marcante. E, aos mais discretos, pense em peças de menor dimensão, acompanhadas de jeans ou preto!

Monocromático (ou quase)

A tendência absoluta que reina há temporadas mostra outras faces (mais dinâmicas e versáteis) para se manter de pé no pódio fashion. O que os estilistas brasileiros mostram é um semi monocromático, que se apresenta em tons mais distantes do que costuma-se ver. Misturar três ou mais tons, sempre com texturas e materiais diferentes, pode ser mais fácil para que ainda resiste ao look todo de uma cor e, também, pode trazer mais dinâmica à produção.

Color blocking, please!

Na vibe oposta (mas harmônica!) do que propõe o monocromático, essa tendência revirou o baú dos anos 1960 para retomar um mix de cores divertidos e fashion. O color blocking nada mais é do que a proposta de misturar cores vibrantes e chamativas em um mesmo look. E o que vimos por aqui foram, até mesmo, peças com mais de três cores em equilíbrio. São cores totalmente opostas no círculo cromático que dão um contraste interessante e urbano para o verão.

Bem-vindo de volta, handmade

O famoso feito à mão, que por muito tempo teve em seu conceito atribuições negativas e depreciativas, volta para provar que ele merece destaque. Aliás, ela é uma das tendências que mais valoriza a mão de obra local e traduz referências do país para o mundo. Nessa temporada, o tricô mostrou sua versão mais fashion e fugiu da sua clichê função invernal. Aplausos para as versões urbanas de vestidos de tricô.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × cinco =