Ao contrário do que muitos pensam, a queda dos cabelos é algo perfeitamente normal, sendo que, de acordo com a dermatologista e tricologista Dra. Kédima Nassif, é comum que cada pessoa perca cerca de 60 a 100 fios de cabelo por dia. Porém, se o número de fios caindo diariamente passar da quantidade habitual de queda, algo pode estar errado. Para ajudar, a especialista pontuou os principais fatores que influenciam a queda capilar. Confira:

Genética: “Existe a chance de você ser geneticamente predisposto a sofrer com afinamento e queda capilar, o que significa que ocorrerá uma redução progressiva do volume dos cabelos com o passar do tempo. Nestes casos o que acontece é que os folículos, devido a sensibilidade aos hormônios masculinos adquirida geneticamente, passam a diminuir de forma gradual, assim produzindo fios menores e mais finos a cada ciclo de crescimento dos cabelos.”

Desequilíbrio hormonal: Desequilíbrios hormonais podem afetar causar alterações em todo o organismo, inclusive nos cabelos. Isso por que os hormônios possuem um papel fundamental na regulação do ciclo de crescimento capilar. “Enquanto os estrogênios, hormônios femininos, ajudam a manter os cabelos na fase anágena, ou seja, de crescimento, pelo tempo necessário, os andrógenos, hormônios masculinos, podem encurtar o ciclo de crescimento capilar, fazendo com que os fios cheguem a fase de queda mais rapidamente. Dessa forma, o excesso de hormônios andrógenos pode causar a perda dos cabelos”, explica a médica. Este problema também está relacionado a genética, visto que o desequilíbrio hormonal afeta muito mais os cabelos de pessoas que tem predisposição a sensibilidade folicular do que daqueles que não possuem tal predisposição.

Deficiência de ferro: De acordo com a Dra. Kédima, um dos principais e mais comuns fatores que influenciam a queda capilar em mulheres é a deficiência de ferro no sangue, visto que o nutriente é fundamental para a produção de proteína para as células capilares.

Deficiência de vitamina B12: “A deficiência de vitamina B12 está diretamente relacionada a queda capilar, pois o nutriente é fundamental para garantir a saúde dos glóbulos vermelhos do sangue, responsáveis por carregar o oxigênio para nutrir os mais diferentes tecidos do corpo, incluindo os folículos capilares. Este problema é muito comum em veganos, já que a vitamina B12 é obtida de fontes proteicas animais.

Hipotireoidismo e hipertireoidismo: A glândula tireoide ajuda a regular o metabolismo do corpo, controlando a produção de proteínas e o uso de oxigênio pelos tecidos. “Logo, qualquer desequilibro nesta glândula pode afetar os folículos capilar. Além disso, o hipotireoidismo pode levar a um quadro anêmico do paciente, o que, devido a deficiência de ferro, também pode afetar o cabelo”, afirma a especialista.

Estresse: Quando estamos estressados, há um aumento dos níveis de cortisol, o que pode causar queda capilar. Além disso, o estresse pode promover o aparecimento de problemas no couro cabeludo, como caspa, o que também possui um impacto negativo nos cabelos.

Idade: É importante ter em mente que conforme nós envelhecemos, nossos cabelos também envelhecem, tornando-se naturalmente mais finos e consequentemente caindo. É uma parte completamente normal do processo de envelhecimento. “Quando a mulher entra na menopausa, por exemplo, começam a ocorrer mudanças no organismo que também afetam os cabelos. Sendo assim, a queda de cabelo torna-se mais prevalente após este período”, completa a tricologista.

De acordo com a médica, é importante ressaltar ainda que a queda de cabelo não ocorre repentinamente, pois os fios crescem em ciclos, podendo então levar até três meses para que o cabelo comece a cair devido aos motivos citados acima.