Com o foco em atrair públicos comerciais, a London Fashion Week Men’s marca o início de uma nova década fashion. Os melhores estilistas britânicos dividiram a cena com talentos emergentes que mostraram que, em tempos onde o street style aponta as tendências das passarelas, o estudo das ruas é fundamental para a construção de uma coleção. Apontamos 4 novas marcas britânicas para você ficar de olho. Acompanhe!

A Cold Wall

Criada em 2015 por Samuel Ross, estilista premiado com o título de Talento Emergente pelo Conselho de Moda Britânico, a marca dá um novo significado à funcionalidade, com peças para o streetwear que misturam materiais diferenciados à vibe arquitetônica. E pra quê fazer parte de uma semana de moda quando você pode marcar presença em mais datas do calendário fashion? Além de ter o desfile marcado na Milan Fashion Week, Samuel Ross decidiu apresentar também sua coleção em Londres, mas de forma inusitada. Durante três dias, sete cores do casaco icônico M-65 foram exibidas em uma galeria que traduz bem o nome da marca: A Cold Wall. Com esse preview, podemos esperar muitos insights da passarela de Milão!

Qasimi

“Todo Sol tem que nascer de novo.”, esses foram os dizeres do resumo da coleção da Qasimi, marca fundada em 2015, em Londres. Após a morte recente de seu fundador, Khalid al-Qasimi, surgiram dúvidas sobre o futuro da label, que foram sanadas após a apresentação da nova coleção pela atual diretora criativa, a irmã Hoor Al Qasimi. A etiqueta retornou triunfante à passarela masculina da London Fashion Week com fortes inspirações das raízes de Qasimi, o Oriente Médio. Com peças estruturas que são referência de elegância no streetstyle, ela apostou na alfaiataria com tecidos refinados que atribui textura aos casacos, coletes e blazers. O bordô, mostarda e verde escuro roubaram a cena na passarela.

Nicholas Daley

Desde o lançamento de sua marca, em 2015, o ex-aluno da Central Saint Martins mostra que sabe combinar moda e experiência como ninguém. Daley incorporou sua herança escocesa e jamaicana na passarela de Londres, com técnicas artesanais de culturas ao redor do mundo, incluindo Japão e Guiana. O visual da coleção foi definido pelo mesmo como uma espécie de futurismo afro, notado pela mistura de cores, estampas e acessórios singulares. A atmosfera contou com músicos ao vivo, que interpretaram jazz, rock e eletrônica, e terminou com membros da plateia sendo convidados a dançar no palco. Nessa dança de culturas e estilos musicais, Nicholas Daley quebra fronteiras e dá o start a um novo movimento multicultural na moda.

Patrick McDowell

O jovem designer, que debutou na semana de moda britânica em 2018, é conhecido por seus modos inusitados de explorar a sustentabilidade. A partir do conceito upcycling, ele levou para a passarela elementos da Brigada de Incêndio de Londres, como mangueiras, cintos, luvas e partes de uniformes. Em tons de azul, amarelo e, claro, vermelho, a coleção mistura acessórios statement com calças e coletes funcionais que fazem um tributo ao trabalho dos oficiais e suas peças robustas. Com apenas 23 anos, Patrick promete reinventar o luxo a partir do mindset sustentável.

Bethany Williams

Nossa última jovem designer marca seu território na moda como vencedora da categoria Design Britânico, no Prêmio Queen Elizabeth II. Voltando seu olhar para as práticas eco-friendly e questões sociais, Williams envolve grupos comunitários em seu processo de produção, que utiliza somente materiais reciclados, orgânicos e artesanais. Com uma estética viva e colorida, ela se aprofundou no segmento genderless, com fortes referências da modelagem masculina. Para o desfile, apresentou apliques coloridos, calças largas, peças de nylon, e casacos xadrez trabalhados com remendos e franjas. Sem dúvidas, uma estilista em ascensão!